Seguidores

sábado, 12 de novembro de 2016

Aquarianos em geral não aceitam sugestões nem conselhos, seguem apenas a própria cabeça.

O que pode acabar muito mal, às vezes...


Até que ponto essa característica pode ter influenciado a decisão tomada pelo capitão do Titanic, o aquariano Edward John Smith (27/01), de ignorar todas as advertências de icebergs enviadas por embarcações próximas e não reduzir a velocidade do transatlântico, que navegava a todo vapor? 




No inquérito aberto apenas quatro dias após o naufrágio, 82 testemunhas confirmaram que o capitão havia ignorado vários avisos sobre blocos de gelo no mar, mas ninguém sabia explicar a razão disso. Alguns o acusaram de ceder à pressão de Joseph Bruce Ismay, presidente da White Star Line (companhia de navegação que operava o Titanic), para aumentar a velocidade do navio, a fim de que chegasse ao seu destino com um dia de antecedência e atraísse ainda mais atenção da imprensa e, por conseguinte, publicidade gratuita. Mas um lobo do mar com quase quatro décadas de experiência se deixaria levar pela insistência de um burocrata ambicioso, a ponto de arriscar seu navio e as vidas confiadas a ele? Outra possível explicação, mais crível, é a de que o capitão se sentisse muito seguro com a sólida estrutura do Titanic e seu sistema operacional e não considerasse os icebergs um perigo. Anos antes, em 1907, dando uma entrevista a respeito de outro navio da White Star Line sob seu comando, o Adriatic, ele disse:

"Na minha carreira, nunca experimentei qualquer incidente digno de nota. Em todos esses anos no mar, nunca vi um navio em perigo [...]. Nunca vi um naufrágio e nem estive em um, sequer me encontrei em uma situação que ameaçasse se transformar em um desastre [...]. Não imagino qualquer acidente que possa acontecer com esse navio: a construção naval moderna já ultrapassou essa fase".

Seja como for, o Capitão Edward John Smith honrou a tradição marítima e o provérbio que diz "o capitão afunda com seu navio" perecendo com ele, e foi visto, segundo o relato de sobreviventes da tragédia, passado um momento inicial de perplexidade e paralisia diante da inevitabilidade do naufrágio do Titanic, ajudando até o fim na evacuação do navio, munido de um megafone, orientando a retirada de mulheres e crianças em primeiro lugar.



Em sua honra, uma estátua foi erguida no Beacon Park, Lichfield, Staffordshire, Inglaterra. Em sua base, lê-se:


COMANDANTE
EDWARD JOHN SMITH R.D. R.N.R.
NASCIDO EM 27 DE JANEIRO 1850 - MORTO EM 15 DE ABRIL DE 1912
LEGANDO A SEUS COMPATRIOTAS
A MEMÓRIA & O EXEMPLO DE UM GRANDE CORAÇÃO,
UMA VIDA CORRETA E UMA MORTE HEROICA
"SEJAM BRITÂNICOS"


A exortação final popularizou-se como sendo suas últimas palavras à tripulação ao dispensá-la nos derradeiros momentos que precederam o naufrágio, mas, segundo relato confiável, na verdade elas foram simplesmente: "Bem, rapazes, façam o que puderem pelas mulheres e crianças, e cuidem-se".


Nenhum comentário:

Postar um comentário